Ferramentas

Eric Parsloe, em seu livro, Coaching, Mentoring and Assessing, apresenta uma tênue distinção ao sugerir que coaching:

Diz respeito, diretamente, à melhoria imediata da performance e do desenvolvimento das habilidades como uma forma de tutoria ou instrução. Mentoring é sempre remoto e diz respeito à aquisição, em um prazo mais longo, de habilidades em uma carreira em desenvolvimento como uma forma de aconselhamento e consultoria.

Esse é um trecho do livro Coaching para Performance – Aprimorando Pessoas, Desempenhos e Resultados de John Whitmore, um dos percursores do Coaching, que acredito abordar muito bem a diferença entre o Coaching e o Mentoring no seu primeiro capítulo “O que é Coaching?“.

É muito comum as pessoas confundirem Coaching e Mentoring, afinal os dois processos utilizam abordagens semelhantes por se tratarem de algo individual na maioria das vezes e focado no cliente, visando o seu desenvolvimento. Porém, também existem diferenças bem marcantes entre eles e é isso que vamos abordar no texto de hoje para que não haja dúvidas na hora de decidir o profissional que você precisa contratar.

MENTORING (MENTORIA)

O Mentoring existe desde que existe mundo, pois trata-se de uma pessoa com muita experiência em um assunto conduzindo o seu aprendiz por um caminho semelhante ao que já passou, seja no âmbito profissional ou pessoal, atuando como modelo e dando conselhos.

Falando em palavras mais simples, o Mentor dá conselhos para seu mentorado visando atingir seus objetivos de carreira e pessoal, sendo mais utilizado para esse primeiro.

É necessário que o profissional que se intitula Mentor seja um especialista no assunto do qual está tratando, pois esse deve oferecer informações, passar experiências, dar as diretrizes e ensinar seu mentorado no caminho que deve seguir para ter sucesso naquele ramo que procurou a Mentoria.

Esse tipo de processo não explora com profundidade o autoconhecimento e desenvolvimento pessoal de forma geral, é claro que para o assunto que está tratando e tudo que permeia aquele objetivo o Mentor irá desenvolver e ensinar para que seu mentorado evolua o suficiente à ponto de seguir adiante em sua carreira e atingir seus objetivos, porém ainda assim o Mentor segue na maioria das vezes pelos passos que já trilhou, dando soluções e oferecendo o “caminho das pedras”, não havendo a necessidade de tocar em assuntos que não fizeram ou fazem parte de sua evolução como profissional.

O processo de Mentoria não tem necessariamente um início, meio e fim, bem como um tempo médio para ser desenvolvido, sendo que vai depender muito da capacidade de absorção do mentorado e da abordagem que o profissional vai utilizar, entretanto isso não é uma regra. Além disso, esse costuma ser individual e os encontros podem ser realizados na própria empresa, em casa, escritório ou até mesmo cafés.

Quais as semelhanças entre eles?

Abaixo vou abordar alguns conceitos sobre Coaching, mas para um entendimento mais aprofundado sobre o assunto, convido a ler a minha postagem anterior.

Tanto o Coaching quanto o Mentoring são processo que saem do presente focando um objetivo futuro, buscando desenvolvimento do cliente (coachee ou mentorado) em prol do seu estado desejado.

Os tipos de atendimento se assemelham muito também em função de serem, em sua maioria, individuais e gerarem uma relação de confiança muito grande entre os envolvidos, sendo processos extremamente personalizados.

Nos dois, o profissional deve ter muita flexibilidade e deve haver muito comprometimento do cliente para atingir seus objetivos, pois ambos vão acabar passando tarefas ou sugerir atividades para desenvolvimento pessoal e profissional e obtenção de resultados.

Existe ainda a possibilidade de fazer um trabalho em conjunto com as duas metodologias, mas para isso o profissional deve ser especialista naquilo que está oferecendo e ter uma formação em Coaching que o possibilite utilizar as técnicas adequadas nos momentos de desenvolver a consciência do seu cliente.

Agora que você já sabe como confundir os dois processos (rss), vamos diferenciá-los.

Quais as diferenças?

Existem duas diferenças principais entre esses processos que permitem uma identificação muito rápida, são elas:

  • Expertise no assunto
  • Ensinamentos e aconselhamentos.

O Coach NÃO precisa ser especialista no objetivo do coachee, seu cliente, pois esse tipo de processo trabalha com desenvolvimento das competências e aumento da performance das qualidades já existentes do cliente, considerando que esse sim possui todas as respostas que precisa para atingir seus objetivos.

O Mentor precisa ser especialista, pois seu trabalho é de passar experiências e oferecer soluções aos seus clientes, visando levá-los por um caminho que já deu certo anteriormente e pode dar certo com eles também.

A segunda diferença citada acima é também algo muito relevante na maneira como os profissionais trabalham. O Coach não dá conselhos para o seu cliente, partindo do pressuposto que esse possui todas as respostas para seus problemas e despertando sua melhor maneira de aprender, trabalhando, portanto, através de perguntas e do autoconhecimento.

Já o Mentor, por outro lado, dá conselhos para seu cliente o tempo todo sobre como agir nas situações que ele se encontra baseado em suas experiências passadas, por isso é tão importante a expertise nesse caso, fazendo com que o cliente aprenda e trilhe os caminhos de sucesso já trilhados pelo profissional que o mentora.

Vistas essas duas diferenças principais, podemos também dizer que o Coaching possui início, meio e fim do processo bem delimitados e um plano de ações bem definido, enquanto o Mentoring não possui necessariamente essa estrutura.

O Coach desafia o tempo todo seu coachee dando reforço positivo, explorando crenças e oferecendo um crescimento pessoal mais abrangente, enquanto o Mentor trabalha o crescimento pessoal mais focado na posição que seu mentorado deseja ocupar, possibilitando um desenvolvimento profissional muito grande.

Se pararmos para analisar, mesmo com as semelhanças citadas, os trabalhos são bastantes diferentes, mas…

Qual é melhor?

Bom, é impossível eu dizer qual é o melhor processo, pois ambos trabalham coisas diferentes apesar de suas semelhanças.

Se você deseja atingir um objetivo, os dois serão extremamente úteis, mas…

Se você deseja crescer na sua carreira e ter um acompanhamento particular para isso, recebendo conselhos que evitarão que você caia em algumas armadilhas do dia a dia de alguém que já é “macaco velho” no assunto, faça Mentoring.

Se você deseja se desenvolver pessoalmente para achar seu próprio caminho através do autoconhecimento e autoconsciência, com ajuda de um profissional que vai te provocar para tirá-lo da zona de conforto e auxiliá-lo no plano de ações, faça Coaching.

Se você deseja ter a fórmula do sucesso e gostaria que alguém fizesse o trabalho duro por você, se deseja ficar rico da noite para o dia, se procura alguém que chegue com a lâmpada mágica para realizar três desejos, se deseja alguém que te fale o que fazer e que isso não exija esforço, se não quer se comprometer com ações e tarefas passadas por um profissional, se não pretende cumprir aquilo que foi combinado no início do processo ou se pretende culpar os outros pelo seu insucesso, não procure esses profissionais, eles não poderão ajudar você.

 

Bom, espero ter contribuído um pouco mais para seu conhecimento sobre Coaching e Mentoring, bem como tirado a dúvida sobre os processos em si. Continue acompanhando a série de postagens desse mês no qual falarei tudo sobre Coaching!

 

Um grande abraço!