Ferramentas

 

A grande confusão que existe entre esses dois tipos de processos se dá por conta das palavras, pois “treinamento” é a tradução literal de “Coaching” do inglês para o português em certas ocasiões. Porém, hoje quero explicar de onde vem o termo Coaching e sanar qualquer dúvida na próxima vez que ouvir algo sobre esse processo.

Para explicar, gostaria de mostrar para vocês as traduções possíveis indicadas no Google Translate para a palavra coach, do inglês para o português:

substantivo
  • o treinador: coach, trainer, handler, couch
  • o técnico: technician, coach, expert
  • os ônibus: bus, coach, omnibus, motor bus
  • a carruagem: carriage, coach, car, vehicle, barouche, equipage
  • o coche: coach
  • o instrutor: instructor, trainer, coach, preceptor
  • os professor particular: tutor, coach

verbo:

  • treinar: train, practice, coach, manage, rehearse, form
  • ensinar: teach, educate, instruct, train, school, coach
  • preparar: prepare, ready, make, arrange, draw up, coach
  • viajar: travel, go, journey, visit, go away, coach

Eu deixei alguns pontos em negrito para fazer um link com a história do Coaching, que resolvi copiar do site do IBC – Instituto Brasileiro de Coaching, onde fazem um resumo muito preciso, entrando inclusive na área do esporte que quero mencionar no meu texto também:

O Coaching é uma palavra que existe desde a idade média, quando era utilizada para descrever o condutor de carruagens. Esses profissionais eram chamados de cocheiros, ou aquele que conduz o coche — que era como se chamavam as carruagens. Os cocheiros eram os profissionais que conduziam os passageiros até o destino desejado.

Por volta de 1850, o termo passou a ser atribuído a professores e mestres de universidades com o significado de tutor, a pessoa responsável por auxiliar os estudantes na preparação de testes e exames. Na essência, o termo ainda tinha o mesmo significado: de pessoa que conduz seu passageiro para o local desejado.

Em 1950, o termo “coach” foi utilizado pela primeira vez para fazer referência à habilidade de gerenciamento de pessoas. Foi aí que surgiram as primeiras técnicas de desenvolvimento pessoal e humano, valorizando as competências individuais e relaciona-as a um processo de evolução contínua.

O coaching no esporte

Ainda por volta de 1950, a palavra coach também passou a representar a pessoa responsável pelo treinamento e aperfeiçoamento de atletas e equipes esportivas. O coach surgiu no esporte como uma técnica específica, utilizada por treinadores para motivar profissionais de esportes como tênis ou esqui.

(…)

Como podem ver então, os termos utilizados hoje na profissão estão mais relacionados ao condutor (cocheiro) e à carruagem, remetendo ao processo de levar a pessoa de um lugar até o outro, não se relacionando com a tradução mais comum que é treinamento.

Talvez, em função disso ter se tornado muito conhecido no esporte através do “The Inner Game“, de Timothy Gallwey, haja essa confusão ao vermos na camiseta de um treinador o termo Coach. Esse, traduzindo, “Jogo Interior” criado por Tim Gallwey foi baseado no Tênis, esporte que adorava jogar, visando basicamente despertar as habilidades do tenista de dentro para fora, ao invés de dizê-lo o que e como fazer.

Bom, visto as diferenças na concepção da palavra Coaching, vamos entender agora um pouco do trabalho de ambos.

Treinador

Podemos utilizar algumas profissões de exemplos nesse caso, tanto na área esportiva como técnico de futebol, de vôlei, de basquete e todos os outros, como em outras áreas. Esse é o papel daquele que ensina o seu ou os seus treinados à efetuarem alguma atividade ou aplicarem alguma técnica da melhor maneira.

Esse profissional precisa ser especializado no assunto no qual está se propondo a treinar alguém, afinal ele quem vai passar através de exemplos práticos ou explicações teóricas a melhor forma dos seus treinados atingirem os resultados. Falando nisso, o treinador também precisa de um objetivo, pois a efetividade de seu processo só é mensurada através dos resultados obtidos.

Cada treinamento vai ter o seu tempo determinado e sua periodicidade, sendo combinado anteriormente com as pessoas envolvidas.

Um bom exemplo de treinador que podemos utilizar é o famosos Personal Trainer, nesse caso estou me referindo à um atendimento personalizado na área da saúde no qual o profissional de Educação Física monta um treino específico para seu aluno (como também é chamado o treinado muitas vezes) que o possibilitará obter os resultados que imagina, como por exemplo ter um corpo definido, condicionamento físico, ficar musculoso, recuperação muscular ou qualquer outro.

Veja que nesse exemplo o Treinador sabe o que está fazendo, precisa ter conhecimento no assunto, passar o que fazer para seu cliente, ensiná-lo a fazer e oferecer recursos para ajudá-lo. Não é função do mesmo ensinar ao aluno aquilo que ele sabe, mas sim, como dito anteriormente, ensinar o que fazer para atingir seu objetivo.

Diferenças entre Treinamento e Coaching

Se você está acompanhando a série de postagens sobre Coaching, já deve ter percebido algumas diferenças apenas pela descrição acima que se repetem com as profissões comentadas anteriormente, Consultoria e Mentoring, que é a questão da especialização no assunto.

Esse é mais uma vez o ponto que vale a pena ser exaltado para que haja clareza na definição que o Coach não precisa ter especialidade no assunto que o cliente está procurando, pois se preocupa mais em despertar o potencial do Coachee (cliente de Coaching) que achará seu próprio caminho para atingir os resultados.

Além disso, o treinamento costuma ser na base de um para muitos, não de um para um, afinal pessoas que possuem o mesmo objetivo podem fazer o mesmo treinamento, na visão desse processo. No caso do Coaching, nem sempre é assim. Mesmo tendo objetivos em comum, os clientes têm maneiras diferentes de pensar e agir, por isso o processo é individual e adaptado para cada um.

Claro que existe atendimento individual de treinamento, como o exemplo que citei, e existe atendimento em grupo de Coaching, porém o foco do processo em grupo, nesse caso, é despertar as pessoas que estão ali para seus objetivos e para acharem seus caminhos, através da troca e cooperação mútua.

Apesar de todas as diferenças citadas, acredito que a maior delas na visão de contratação do serviço é que o treinamento é um produto para aquilo que o cliente deseja alcançar, de forma mais pontual e específica. O Coaching é um serviço mais abrangente, que visa ser assertivo e despertar o cliente antes de contratar qualquer tipo de especialização ou treinamento.

O Coaching vem antes e/ou durante o Treinamento

Eles podem trabalhar juntos?

Aproveitando o gancho dessa última frase, com certeza eles podem trabalhar juntos, já que para muitos objetivos um treinamento é extremamente necessário e, se aliado ao Coaching, trará resultados exatos para o cliente.

Quantas vezes você já falou ou ouviu alguém dizer que já fez todos os tipos de dietas e exercícios, mas não consegue emagrecer? Que já passou em academia, personal, zumba, nutricionista, endócrino e nada adiantou? Esse é um grande exemplo de como o Coaching e o Treinamento poderiam atuar juntos!

Caso essa pessoa tivesse procurado um Coach, profissional que vai trabalhar seu autoconhecimento e despertá-la internamente, ela com certeza não teria procurado treinamentos que, para ela, não fariam efeito, mas acabou fazendo isso por desconhecer a si mesma. Então o trabalho em conjunto do Coach e do Treinador, sendo a mesma pessoa ou não, é extremamente assertivo para o cliente que contrata.

Além dessa forma de trabalhar, caso o Treinador seja também formado em Coaching, ele poderá usar técnicas desse processo para aumentar a capacidade de aprendizagem de seus treinados e levá-los à uma alta performance de maneira mais individuaizada, se preocupando apenas com sua especialidade e passando as técnicas necessárias, deixando cada um aplicar da sua maneira. Esse é o conceito do The Inner Game, citado no início do texto.

Então, mais uma vez podemos dizer que apesar de serem profissões diferentes e utilizarem técnicas distintas, os dois podem trabalhar juntos ou até serem dois processos aplicados por um único profissional. Em função disso mesmo que um Coach, quando contratado por uma instituição para ajudar seus atletas, precisa aplicar o Coaching com o Treinador, para que esse dê continuidade naquele processo e consiga entender que são técnicas para somar, nem melhores e nem piores do que as que ele passa, apenas complementares.

 

Espero que com isso você consiga ser mais assertivo na escolha dos seus treinadores, bem como na escolha dos seus Coaches.

 

Um abraço!