Felicidade e Bem estar

 

Para iniciar essa nossa discussão, quero trazer para vocês o significado que o Google dá para a palavra “Discutir”, vejam:

verbo
  1. transitivo direto
    analisar questionando; levantar questões a respeito de (algo); examinar detalhadamente.
    “discutiam o novo plano de ação”
  2. transitivo direto, transitivo indireto e intransitivo
    defender pontos de vista contrários sobre (algo); debater.
    “os alunos estão discutindo (sobre) o novo projeto”
  3. transitivo direto
    pôr em dúvida (algo); contestar.
    “ninguém discute o mérito da proposta”
  4. intransitivo
    conversar de maneira exaltada e apaixonada; altercar, brigar.
    “discutem por tolices”

Agora veremos o significado de “Brigar”:

verbo
  1. transitivo indireto e intransitivo
    bater-se corpo a corpo.
    “pôs-se a b. (com o outro), revidando a agressão sofrida”
  2. transitivo indireto e intransitivo
    desentender-se verbalmente; altercar.
    “da sacada, brigava com a vizinha”

É bem verdade que essas palavras podem ser sinônimos em algumas ocasiões e entendo ser por isso que normalmente uma conversa que se torna uma discussão, rapidamente se torna uma briga. Mas por que isso acontece?

Antes de entrar no mérito do comportamento, principalmente entre casais, vamos usar esses significados e ver o que a gramática tem a nos dizer sobre isso.

 

Verbo intransitivo não é discussão, é briga

Eu não sou algum professor de português e nem quero parecer um hoje, mas vou relembrar rapidamente o conceito do verbo intransitivo para entendermos o que isso tem a ver com “brigar” e “discutir”.

Quando vemos os significados de discutir lá no início, percebemos que apenas nos itens 2 e 4 é citado o verbo como sendo intransitivo, ou seja, que não precisa de complementos para dar sentido à frase. Enquanto o verbo brigar, no sentido que estamos abordando, é definido como intransitivo em todas as suas definições.

Vejam que o discutir, quando intransitivo, tem sentido de defender uma ideia, debater (2) ou de brigar (4), sendo sinônimo e podendo até ser substituído pela palavra brigar. Veja o exemplo:

“Eu estava conversando com meu parceiro e discutimos.”

“Eu estava conversando com meu parceiro e brigamos.”

Nas duas frases o entendimento é que houve algo mais exacerbado, enquanto se tivesse um complemento, por mais simples que fosse, já mudaria totalmente o sentido do “discutir”, veja:

“Eu estava conversando com meu parceiro e discutimos o assunto.

Percebe que não é mais tão grave assim do que uma simples discussão?

Pois bem, agora que já dei uma de professor de português (hehehe), vamos falar um pouco sobre isso e ver como podemos evitar que uma discussão se transforma em briga.

 

Discussão não tem vencedores

Acredito que o primeiro grande erro das pessoas ao entrarem em uma discussão, seja qual for o assunto envolvido, – lembrando que se não tiver um assunto em questão, é briga, não discussão – é de tentar ganhar.

Durante uma discussão é normal que as pessoas queiram colocar cada uma a sua ideia e pensamentos, embasando naquilo que é importante para ela. Então, o importante aqui, acima de tudo, é ouvir, estar disposto a entender a opinião do outro e baseado no que aquilo é importante para ele, ao invés de tentar obrigá-lo a pensar da mesma maneira que você, onde estaria tentando “vencer” a discussão, transformando-a em uma “queda-de-braços”.

O que acontece entre casais na maioria das vezes, é que não aceitam que o outro pense de maneira diferente da dele, enquanto na realidade ele deveria considerar uma dádiva ter alguém ao seu lado que possui um pensamento diferente, afinal os dois juntos se tornam ainda mais completos. Se aprenderem a conviver com isso ao invés de ficarem na sua zona de conforto onde tudo é conhecido e do seu jeito, mais fácil será se relacionarem e se entenderem.

Discuta sempre para aprender e os dois ganharão!

 

Ouvir é uma necessidade básica do ser humano

Talvez essa seja a melhor dica que eu vou dar para você durante toda minha trajetória no blog, todos os seres humanos tem a necessidade básica de ser ouvido. As vezes seu parceiro ou sua parceira só quer falar com você e precisa em contrapartida de um bom ouvido, ele(a) não quer realmente a sua opinião, mas quer a sua compreensão.

Confesso que eu mesmo tenho dificuldades com isso naqueles momentos nos quais eu acredito que a minha parceira não tomou a melhor atitude ou está com raiva, eu fico tentando apaziguar e falar pra ver o outro lado da coisa, quando na realidade ela só quer ser ouvida e quer alguém que compreenda seu sentimento. É um direito dela, meu papel é aprender e apoiar.

Apesar de minha enorme facilidade em ouvir as pessoas, não é fácil identificar exatamente o momento certo para dar a nossa opinião, no meu caso, eu espero para fazer isso, caso ache que é relevante, quando os sentimentos exaltados, seja de raiva, tristeza, excitação ou alegria, já passaram. Assim ela consegue me ouvir e saber minha opinião sem que transformemos uma possível discussão em brigas, aliás, falando nisso me veio outro tópico.

 

Discuta sempre no seu melhor estado de espírito

Não pegue um assunto para discutir quando estiverem com fome, quando a mulher estiver de TPM, quando estiverem passando por uma situação de estresse, quando estiverem em um maré de brigas, enfim, discussões precisam do pleno exercício da mente para exercer a compreensão e tornar aquilo em aprendizado, estar com a atenção focada em outra coisa só vai atrapalhar as coisas.

Vou ressaltar o plural que usei para os exemplos dados, pois se você estiver 100% bem, tranquilo, sossegado, cabeça boa e de repente fomentar uma discussãozinha sem perceber que a pessoa ao seu lado não está nos melhores dias, pode se considerar culpado por isso ao invés de culpar o outro, afinal você é quem está bem e deveria ter percebido que algo a afligia.

Repare em quem está com você e seja, no mínimo, razoável. Aliás…

 

Você já experimentou discutir consigo mesmo?

Antes de tornar algo tão bobo em uma briga, já experimentou usar argumentos para comprovar os seus próprios pensamentos?

Experimente, pode funcionar com aquelas discussõezinhas bobas que não param de acontecer.

Atribua seu problema para uma outra pessoa, seja imaginando ou seja na realidade, peça a essa pessoa para defender seu ponto de vista enquanto você assume o ponto de vista da pessoa que está com você. Vista de verdade essa camisa e assuma o ponto de vista dela. Quando conseguir fazer isso, terá os seus argumentos, mas agora com uma nova opinião. Faça isso e procure o seu modo de entender aquilo que está sendo colocado, chegando inclusive à uma conclusão importante para compartilhar depois com seu parceiro.

 

E quando brigar é bom?

Em um relacionamento, brigar não é válido e nem bom. Brigas envolvem ataques e defesas, envolvem feridas, envolvem sentimentos rancorosos, envolvem superar ao outro em alguma coisa, e um casal nunca deve estar preocupado em superar qualquer coisa que não seja suas próprias desavenças.

Está aí, brigar pode ser bom no relacionamento quando os dois se unem para brigar contra aquilo que os afasta, que torna a relação ruim. Nesse caso vale a pena discutir até discutir consigo mesmo como dito acima, mas cuidado para não brigar com você também.

 

Já tentamos de tudo, sempre acaba em briga

Se VOCÊS dois, os dois, já tentaram de tudo, realmente a situação pode estar um pouco complicada. Talvez ainda não perdida.

Já parou para pensar no motivos pelos quais você está com a pessoa ao seu lado? Aqueles motivos que fizeram vocês se conhecerem e ficarem juntos, já?

Faça isso e então responda:

  • As discussões que vocês têm, são revelantes perto dos motivos pelos quais está com ela?
    • Se não for, aceita.
  • Se são relevantes, elas são mais relevantes do que os motivos pelos quais estão juntos?
    • Se não for, aceita.
  • Se for, eles tem solução?
    • Se não tiver, aceita.
  • Se tiver solução, proponha e mude, por vocês!

Caso ainda assim as coisas não se resolvam a as discussões envolvam valores muito fortes para você. Exponha isso de modo tranquilo, de repente através de uma carta, demonstrando no que está disposto a ceder e no que não está. A partir daí, ela tende a fazer o mesmo e poderão decidir sobre sua relação com todos as cartas na mesa.

 

Bom, espero ter contribuído um pouco mais para o seu crescimento. De qualquer forma, como sempre digo, nunca há uma receita de como fazer. Seja verdadeiro e sincero consigo mesmo, depois com seu parceiro, o restante se encaixa.

Lembrando alguns pontos para finalizar:

  • Discutir sem motivo, é brigar
  • Discuta algo, e algo relevante
  • Discussão gera aprendizado, não vencedores
  • Aprenda a ouvir o que o outro realmente quer dizer
  • Perceba se é o momento certo para discutir
  • Esteja totalmente lúcido para discutir
  • Discuta consigo mesmo antes
  • Se não tiver mais jeito, seja apenas sincero

 

Grande abraço!