Livros e filmes

 

Inquietações propositivas sobre gestão, liderança e ética – Mário Sérgio Cortella

 

Você já parou para pensar qual é a sua missão aqui na terra? O que você está construindo nessa vida? O que você faz, com quem se relaciona e como essas coisas contribuem para um objetivo maior?

Na capa, o autor traz a frase do início como um subtítulo do livro, que dá uma ideia bem clara daquilo que ele faz no decorrer dessa sua obra literária, inquietações propositivas.

Esse livro foi feito para pensar! Nele não se fala apenas sobre cada um dos temas citados, gestão, liderança e ética, mas o autor traz muitas questões que nos fazem refletir sobre o nosso lugar na terra e no mundo, bem como em cada meio que vivemos.

A leitura é muito simples, porém se você conseguir ler o livro todo sem reler algumas passagens e parar um pouco para refletir, talvez não tenha prestado tanta atenção assim no que foi dito ou simplesmente também já pensou sobre isso em algum ponto da sua vida, a questão é que a leitura nos desafia o tempo todo a reconhecer qual é o nosso lugar no mundo e, consequentemente, qual é a nossa obra.

São três os capítulos principais e para cada um deles o autor traz algumas histórias, teorias, metáforas, dados e estudos até chegar efetivamente no cerne do assunto abordado. O interessante, e diferencial, é que por vezes os assuntos podem parecer até um pouco desconexos, mas se prestar atenção e juntar cada informação no discorrer da leitura, verá que cada uma é parte de um todo, tendo a intenção de despertar a consciência do leitor e levá-lo sem grandes contestações a uma visão lógica de que estamos aqui com um propósito sem ferir o dos demais, ou dois propósitos, único e coletivo.

Ao contrário do que pode parecer, esse livro está longe de enaltecer o indivíduo e falar sobre a grande importância da sua obra. Quando falo de propósito coletivo, muitos vão até se sentir inúteis e insignificantes, apesar de acreditar que esse também não é o objetivo do autor. Está mais para nos colocar exatamente no nosso lugar no mundo, nem mais e nem menos importantes, no devido lugar, tendo a importância que temos e sem que alguém seja mais que o outro.

Acho justo o autor tratar as situações dessa maneira, afinal temos tantos leituras e vídeos falando sobre como você pode ser o máximo e como você pode ser o melhor, ou ainda como você vai ficar rico e famoso seguindo o método X. Encarar a realidade das coisas pode realmente levar você ao caminho onde se sinta dessa maneira e perceber a sua obra, bem como a importância dela, certamente fará parte dessa realidade.

Falando em nossas obras, muitas vezes pode parecer que estamos tratando a obra como algo já finalizado, como algo que foi feito e deixado para os outros, como uma escultura, um quadro, um livro ou qualquer coisa assim. Na realidade, a obra cujo livro se refere é o seu presente, a sua vida, as suas causas, os seus papéis, aquilo que se constrói diariamente e a cada segundo, para você e para os outros, sendo seu trabalho, suas relações, sua família, suas conquistas, sua reputação, seus comportamentos e tudo que envolve sua vida.

 

Quando você se pergunta “qual é a minha obra?”, o que vem em sua cabeça?

Quero dizer, considerando o que foi dito acima sobre o livro, pensando que sua obra é muito mais do que apenas o que já foi feito, mas o que está sendo e o que ainda está para acontecer, baseado em gestão, liderança e ética, qual seria a sua resposta? Qual seria a sua obra?

 

Recomendo fortemente a leitura desse livro que pode te ajudar a se posicionar com relação àquilo que é e àquilo que pode ser, trazendo reflexões importantes sobre a vida, a unidade a coletividade e o que estamos construindo através do que somos e fazemos, fazendo um fechamento bem oportuno através de um capítulo inteiro sobre ética (e responsabilidades).

 

Um abraço!