Ferramentas

Vida significativa é a “utilização das suas virtudes e forças pessoais a serviço de algo muito maior” – Martin Seligman

Qual é o sentido da sua vida?

Talvez essa pergunta seja mais fácil de responder do que a próxima:

Qual é o sentido de suas ações?

 

Piloto Automático

 

Já pensou que acordamos todos os dias para fazer aquilo que precisamos fazer e sequer nos questionamos o motivo? Por qual motivo estamos fazendo o que fazemos?

Antes que responda com superficialidade, quero convidar você a pensar não mais em motivo ou justificativa. Para realizar suas ações, pense em sentido, propósito, direção, algo maior do que a ação por si só. Pensou? Algo maior do que você mesmo e seus próprios interesses.

Até aqui nós falamos da importância da vida agradável ou vida prazerosa. Falamos de como ter mais emoções positivas no presente e como aproveitá-las melhor. Também comentamos sobre a vida engajada ou vida boa, quando você utiliza aquilo que tem de melhor em suas atividades, aumentando a gratificação e experimentando um estado de flow, tudo isso visando uma vida feliz, plena e de bem estar.

Hoje, além do prazer passageiro e da gratificação duradoura, vamos fechar* esse ciclo dando SENTIDO para tudo isso.

*Na minha próxima postagem falarei sobre o modelo PERMA. Esse, surgiu cerca de 10 anos depois adicionando mais dois itens na teoria do bem-estar, base da Psicologia Positiva.

 

Um sentido maior

 

Muito se fala em um bem maior e eu posso afirmar que todos os dias nós vivemos por isso. O próprio autor de Felicidade Autêntica, Martin Seligman, fala em seu livro que “torna-se indispensável desdobrar nossas virtudes e forças pessoais pelos principais setores da vida: amor, trabalho, criação de filhos e busca de um propósito.”.

Essas palavras fizeram muito sentido para mim. O amor, família, criação dos filhos e trabalho são também os principais setores de minha vida. Todas as ações que tomo em vista desses propósitos são extremamente boas.

É claro que experimentar alguns prazeres por si só é maravilhoso e eu gosto muito de fazer isso.

É claro que sentir gratificação praticando alguma atividade por ser bom naquilo e poder usar minhas principais forças diante de alguns desafios é também excelente.

Porém, quando eu faço alguma atividade pensando no bem da minha família, no futuro com minha namorada e no fortalecimento dos laços com amigos, é, na maioria das vezes, melhor que quando tenho um momento de prazer ou engajamento.

O sentido, justificativa, daquilo que fazemos não é o que o autor sustenta como um dos três pilares para a felicidade. Ele deixa claro e salienta com as palavras “indispensável desdobrar” que devemos fazer o melhor que podemos para usar o melhor que temos naquilo de mais importante em nossas vidas.

Veja, o autor não fala em fazer somente aquilo que gosta em prol da sua família. O autor não fala que você deve se dedicar ao máximo na vida profissional com o propósito de levar dinheiro por si só. Propósito, puro e simplesmente, é pobre, quando tratado como motivo.

Vida significativa é o desafio que nós temos de fazer coisas maiores do que nós mesmo. Muitas vezes deixando os próprios interesses de lado.

 

Vida Significativa

 

Há quem diga que quando nos tornamos pais entendemos o sentido da vida, porque passamos a ter algo maior do que nós mesmo para nos preocuparmos. É muito comum vermos pais e mães abrindo mão de seus próprios prazeres para verem os seus filhos bem.

A vida significativa, que no caso é a motivação dos pais para agirem pela felicidade dos filhos, é muito mais duradoura. Os prazeres acabam sendo mais ligeiros e gerando a necessidade de repetirmos aquela ação.

Minha namorada está se formando em direito e há pouco tempo precisava estudar para passar na prova da OAB. Nesse momento, eu poderia agir conforme minhas disponibilidade de tempo e ir atrás de momentos prazerosos. Porém, preferi abrir mão de algumas dessas atividades em função do sentido que ficar ao seu lado e dar apoio para que passasse na prova me traria.

Enquanto isso percebi que poderia usar ainda outra maneira para sentir gratificação, que foi tomar hábito pela leitura. Veja então que nesse exemplo eu abri mão momentaneamente de um dos pilares, a vida agradável, por outro pilar, a vida significativa, enquanto aproveitei para me aprimorar em outro pilar, a vida engajada.

Muitas vezes vamos precisar deixar de viver os momentos de emoções positivas para fazer algo com propósito maior. Erra muito quem pensa que isso não traz felicidade. O equilíbrio de suas ações com relação ao estilo que escolhe é que vai trazer a verdadeira felicidade para sua vida.

Um bom exemplo disso é compararmos pessoas solteiras e pessoas comprometidas.

Enquanto solteiras, as pessoas justificam sua felicidade pelo prazer, pela liberdade. Os momentos nos quais experimentam as emoções positivas são muito significativos. Sendo o engajamento delas em planejar as próximas festas, elas usam suas forças para serem populares.

Enquanto namorando ou casados, as pessoas justificam sua felicidade no engajamento. Fazer o relacionamento dar certo, no sentido maior do que elas próprias de fazer alguém feliz, no significado de suas ações e na gratidão da pessoa amada. Em ambos vemos queixas sobre ter aquilo que o outro tem, passando impressão de estarem infelizes.

 

Conclusão

 

Para se ter o equilíbrio e a felicidade, o importante é ter os três pilares em conjunto: vida prazerosa; vida engajada; e vida significativa.

É possível em qualquer situação e em qualquer momento das nossas vidas equilibrarmos essas ações, equilibrarmos esses momentos.

Isso não significa que vamos o tempo todo fazer algumas dessas coisas ou que não vamos ter momento ruins. Teremos momentos assim e que eles sejam passageiros, tanto quando um momento de prazer superficial.

Que logo possamos voltar a nos alegrar com relação ao passado, viver o presente feliz, esperar boas coisas do futuro, poder usar nossas forças e virtudes, ter desafios para enfrentar e, acima de tudo, que possamos preencher qualquer vazio entendendo o sentido de toda e qualquer situação de nossas vidas.

Termino o post de hoje com uma frase de motivação que você pode encarar como um convite para ser feliz:

Seja o melhor que pode ser, acredite naquilo que faz e viva por um propósito maior.

Um abraço!