Livros e filmes

Felicidade autêntica é a primeira teoria da Psicologia Positiva baseada em três pilares: vida prazerosa, vida engajada e vida significativa.

Ou, como diria o próprio autor na conclusão do seu livro:

Finalmente, uma vida plena consiste em experimentar emoções positivas acerca do passado e do futuro, saboreando os sentimentos positivos que vêm dos prazeres, buscando gratificação abundante no exercício das forças pessoas e aproveitando essas forças a serviço de algo maior, para obter significado. – Martin Seligman.

Nada poderia explicar melhor do que se trata o livro do que essa conclusão oferecida por ele próprio.

Tiago… calma… para tudo! Do que você está falando? O que é essa tal de Psicologia Positiva? Quem é Martin Seligman?

Bom, vamos começar do começo como costumam dizer.

O Autor

Martin Seligman é psicólogo, PhD, professor, escritor de mais de 20 livros e líder no seguimento de Psicologia Positiva. Antes de mais nada, Marty, como é chamado por seus colegas, é um cara muito estudioso e digno de respeito por seus estudos e contribuições para a área de desenvolvimento humano que não se limitam apenas às teorias, mas são aplicadas e cientificamente comprovadas.

Eu o respeito muito por todo seu trabalho e principalmente por demonstrar durante todo o livro exemplos sobre como aplica suas teorias e como as aprimora baseado na convivência com sua própria família. Inclusive, sua família parece ser a base de tudo aquilo que estuda e aplica, o que de cara já faz ganhar a minha confiança.

É claro que falando assim você pode pensar que sou um tremendo “puxa-saco” desse cara… e você está certo! Alguém que estuda a felicidade e descobre formas comprovadas de ser mais feliz merece no mínimo minha admiração! Mesmo assim não vou me estender muito sobre sua biografia, para isso basta googar sobre ele.

Mas, afinal, o que ele fez de tão legal assim? Vamos destrinchar de uma vez esse livro!

 

A Evolução da Psicologia

Martin Seligman não se contentou com a psicologia tradicional que foca em tratar o problema, principalmente através de técnicas que focam nas emoções negativas, coisa que ele mesmo já fez por anos de atendimento. Após escrever livros sobre otimismo, estudar sobre estados de flow – estado mental altamente focado – descritos pelo psicólogo húngaro Mihaly Csikszentmihalyi, estudar as emoções positivas com Barbara Fredrickson e juntar teorias e práticas de outros grandes nomes do ramo da psicologia, ele resolveu criar a Psicologia Positiva.

Essa se trata basicamente de mudar o foco, sair dos problemas e focar nas qualidades, naquilo que temos de melhor. A teoria que Marty defende no livro e comprova através de métodos científicos é que focar em emoções positivas e tirar o melhor proveito delas, focar no uso das nossas melhores virtudes e forças de caráter e viver por algo que seja maior do que nós mesmos nos leva a um estado de vida plena, na qual vamos automaticamente nos sentindo melhor e nos livrando de famosos transtornos tratados pelos métodos tradicionais da psicologia como depressão e ansiedade, por exemplo.

Isso poderia ter sido um grande problema para Marty em sua carreira e ele também pensou que seria. Porém, o que ele não imaginava é que isso ganharia muitos adeptos e ele mesmo acabaria virando presidente da APA  – American Psychological Association.

Esse livro conta exatamente essa história, como tudo começou e os métodos científicos aplicados para comprovar essa nova teoria, chamada inicialmente de teoria da felicidade.

 

A Felicidade Autêntica

O que é preciso fazer para ser feliz? É possível escolher ser feliz? É possível ser feliz em qualquer circunstância?

Eu sempre tive dúvidas sobre a verdadeira felicidade. Sabe do que estou falando? Não estou dizendo que eu não sou feliz, estou dizendo que sempre me perguntei “o que é, de fato, felicidade?”.

Não sei se você também se sente assim, mas eu vejo as pessoas reclamando tanto da vida… é triste! Fico me perguntando, será que as pessoas têm realmente tantos motivos para serem infelizes?

Também fico me questionando sobre nossa situação atual no Brasil e todas as crises pelas quais passamos; fico pensando sobre a insatisfação generalizada das pessoas; fico observando os discursos carregados de ódio, rancor, pessimismo e me pergunto mais uma vez: será? Será que é para tudo isso mesmo?

Esse livro para mim, assim como o curso que fiz de Psicologia Positiva, é algo libertador para quem tinha todos esses pensamentos!

Ao terminar meu curso eu lembro exatamente a minha resposta para a última pergunta:

Helder Kamei (ministrador do curso): Por que esse curso valeu a pena para você?

Eu: Alguns amigos me perguntam por que eu sou assim, como eu faço para ser desse jeito, tão paciente, tão tranquilo, como eu consigo enxergar o lado positivo de tudo e alguns até me criticam por viver em um mundo colorido e sonhador. Hoje, através da Psicologia Positiva, eu tenho ferramentas comprovadas para convidá-los a serem assim como eu sou, feliz!

É isso, se pudesse resumir esse livro em poucas palavras, seria assim:

Felicidade Autêntica é um livro escrito para levar as pessoas, através de técnicas comprovadas e aplicadas, à felicidade.

Talvez você esteja pensando assim agora: “Ah Tiago, métodos científicos para ser feliz? Conta outra, vai!”. Não te julgo, vem comigo!

O que é felicidade para você?

Essa é a pergunta que foi feita para todos os participantes no início do curso que fiz sobre Psicologia Positiva. O que você responderia?

Eu respondi que felicidade é aquele sentimento que antecede o sorriso. Claro que eu fui para o lado de humor e emoções positivas, como é o jeito mais simples de se conceituar a felicidade, mas, acredite, a felicidade vai muito além disso e por esse motivo, pela subjetividade desse conceito, o autor resolveu no seu livro chamado “Florescer” a alterar o foco da Psicologia Positiva para a teoria do bem-estar, não mais da felicidade, adicionando mais dois fatores além dos três mencionados no início do texto e tornando a felicidade parte das emoções positivas.

Portanto, para você que também acredita que a felicidade não resume tudo, talvez a palavra bem-estar também faça mais sentido. Se ainda assim você for um pessimista convicto, que acredita que não é possível ser feliz ou ficar de bem com a vida o tempo todo, você tem razão, afinal você é exatamente como o autor do livro, que está mais para um realista frio, como ele mesmo diz, do que um “bobo-alegre”.

Ao contrário de outros livros que li sobre felicidade, vide exemplo da postagem que fiz recentemente sobre A Arte da Felicidade, esse é muito mais teórico e muito mais aplicável através de métodos científicos. Ao meu ver, todos são excelentes e levam para caminhos iguais, mas se você precisa de uma “receita de bolo”, esse é seu livro!

 

Espero que tenha se interessado e aproveite a leitura.

 

Um abraço!