Blog

A maioria das pessoas mantém o otimismo até que a primeira coisa dê “errado”, não é? Quando a situação do governo atual condiz com aquilo que votou, você é otimista! Quando seu time ganha algumas partidas seguidas, você é otimista! Quando você consegue um resultado rápido, você é otimista! Quando sua primeira venda dá o retorno esperado, você é otimista! E quando a situação é adversa? E quando as coisas não estão do jeito como você gostaria? Qual é a sua reação?

Esse tema surgiu do meu Facebook! Sim, acredite, minha timeline é um poço de pessimismo! Eu não sei se você passa pela mesma situação, mas eu já cansei dessa patifaria, principalmente no que diz respeito à política, sobre o meu lado tem que ganhar para as coisas darem certo. Sério mesmo? Eu não sei em que mundo de ilusão as pessoas vivem para acreditar que só existe uma solução para o mundo e é aquela que ela acha certo, tudo diferente daquilo vai dar errado, porque… porque… sei lá porque, mas vai! Isso dá início para o texto de hoje.

 

Impeachment, e agora?

Agora você vai falar de política, Tiago? Claro que não! Vou apenas usar esse tema para demonstrar como o pessimismo toma conta das pessoas.

Eu tive oportunidade de acompanhar esse tenso processo pelo qual o Brasil passou e tirei várias conclusões, nada otimistas por sinal, veja:

  • As pessoas (políticos ou não) defendem seus partidos ao invés de defenderem o seu país;
  • As pessoas defendem ideologias particulares ao invés de defenderem o bem coletivo;
  • As pessoas não estão dispostas a colaborarem se o seu voto não for vencedor.

Sinceramente, olhando para o cenário político, eu também não sou muito otimista na maioria das vezes… mas e se fosse? Como seria um cenário otimista para uma situação como essa?

  • Mesmo não preferindo esse partido, vou entender como ele funciona para conseguir as coisas que acho importante e visam os interesses coletivos;
  • Mesmo não concordando, entendo como funciona a ideologia de quem governa e ajudo naquilo que considero positivo;
  • Meu voto não foi o vencedor porque mais pessoas votaram no outro, então procuro entender o que as motivou.

“Hahahahaha… que piada!”

Se você pensou assim, talvez precise mesmo continuar lendo esse texto, pois seu otimismo pode ter se tornado seletivo.

 

Otimismo Seletivo

A política foi apenas um dos vários exemplos de como podemos ser pessimistas, mas faça uma reflexão rápida da sua vida… pense nos momentos nos quais você esteve muito otimista… em algum deles você estava sendo contrariado ou a situação era adversa ao que esperava? Em algum desses momentos você teve que superar muitas dificuldades e ainda assim manteve o pensamento positivo? Em algum desses momentos as pessoas te desencorajavam e você persistiu esperançoso?

Se você respondeu sim para qualquer uma dessas perguntas, você já experimentou verdadeiras sensações de otimismo! Agora, se você consegue se lembrar apenas de situações que eram favoráveis, talvez você não seja assim tão otimista.

A boa notícia para você quem tem praticado esse otimismo seletivo, como chamei, é que o verdadeiro otimismo pode ser aplicado em quatro situações que são separadas da seguinte forma:

  • Permanentemente Ruim
  • Permanentemente Boa
  • Penetrabilidade Ruim
  • Penetrabilidade Boa

Essas quatro formas foram apresentadas por Martin Seligman no livro Aprenda a ser otimista, vamos falar sobre elas.

 

Permanentemente Boa

Pessoas otimistas costumam enxergar o que acontece de bom como algo natural, permanente. Pense em um dia no qual tudo deu certo para você, aquele dia memorável, pensou? O que você diria sobre esse dia?

  1. Foi um dia de sorte.
  2. Eu sempre tenho dias assim.

Pessoas pessimistas costumam pensar conforme a primeira afirmação, consideram eventos positivos temporários e decorrentes de outros eventos, como a sorte ou esforço, enquanto os otimistas praticam o merecimento e têm convicção de que não foi apenas um golpe de sorte, tendo a sensação de que os seus dias são todos maravilhosos assim por conta de suas habilidades e capacidades.

Talvez você possa pensar nesse caso que o otimista não encara a realidade ou os fatos, e você pode estar certo. Porém, eu pergunto para você, ele se prejudica de alguma maneira vivendo esse realidade otimista?

Permita-me responder que não, pelo contrário, ele se beneficia desfrutando mais de seu sucesso do que o outro.

Agora vamos entender como a penetrabilidade das ações afetam nosso otimismo.

 

Penetrabilidade Boa

Enquanto a permanência diz respeito ao tempo, a penetrabilidade se refere ao espaço. Então, usando o mesmo exemplo da situação anterior, aqui o segredo é universalizar aquilo que aconteceu, como se fosse uma regra para sua vida, veja:

  1. Naquele dia me senti bem.
  2. Eu sou de bem com a vida.

Veja como o pessimista é específico na primeira afirmação com relação ao dia que se sentiu bem, enquanto o otimista encara a situação como um estado permanente de ser, ele é daquele jeito. Juntando os dois exemplos, como uma pessoa totalmente pessimista lidaria com essa situação boa:

  • Naquele dia (penetrabilidade – específico) eu me senti bem, tive sorte (permanência – temporário).

Enquanto o otimista diria:

  • Sempre (permanência – permanente) tenho dias assim, porque eu sou (penetrabilidade – universal) de bem com a vida.

Ou:

  • Eu sou de bem com a vida, por isso sempre tenho dias assim.

Esse tipo de pensamento acaba gerando a vontade automática de sempre viver dias assim, o que nos leva a agir sem perceber em prol de situações boas em nossas vidas, ao invés de esperar um evento específico para que isso aconteça.

 

Permanentemente Ruim

Pessoas otimistas consideram as situações ruins temporárias, nunca permanentes. Por exemplo, uma pessoa que você gosta muito mente para você, o que é uma situação ruim, e diante disso você tem duas possíveis linhas de pensamentos:

  1. Ela é uma mentirosa.
  2. Ela faltou com a verdade dessa vez.

Veja que no primeiro pensamento, por conta da atitude cometida, você considerou que aquela pessoa é mentirosa, ou seja, generalizou suas ações baseadas no evento ruim, enquanto na segunda linha de raciocínio, você foi pontual e sabe que ela faltou com a verdade, porém não generalizou isso para todas as suas atitudes.

Pensar da segunda maneira faz com que você consiga enxergar o motivo que a levou a agir diferente naquela situação, ficando mais fácil de trabalhar inclusive o perdão nesse caso ao invés de simplesmente generalizar e acusar a pessoa que mentiu para você.

Outro detalhe importante, você não deixou de enxergar a verdade por ser otimista, você apenas não generalizou! Experimente!!!

 

Penetrabilidade Ruim

Diante de situações ruins devemos ter atitudes mais específicas para manter o otimismo. Usando mesmo exemplo da situação anterior, seguem as possíveis reações:

  1. Não posso confiar em ninguém.
  2. Aquela pessoa que gosto mentiu para mim.

Vejo que aqui houve também uma generalização na atitude pessimista, porém diferentemente da primeira que acusou a pessoa de mentirosa, ou seja, alguém que sempre mente, dessa vez o pessimista tratou de jogar a mentira para todas as pessoas ao seu redor, enquanto na segunda reação ele foi bem específico sobre quem mentiu. Uma pessoa totalmente pessimista nesse exemplo diria o seguinte:

  • Ela sempre (permanência – permanente) mente para mim, não posso confiar em ninguém (penetrabilidade – universal) mesmo.

Enquanto a totalmente otimista diria:

  • Aquela pessoa que gosto (penetrabilidade – específica) não foi verdadeira dessa vez (permanência – temporário).

Dessa última forma, acabamos sendo mais justos com a situação e conseguimos identificar exatamente o que aconteceu.

 

Como ser otimista em situações adversas?

Respondendo a pergunta inicial então, se você deseja ser otimista diante de situação ruins, trate-as de forma específica e temporárias. Para isso responda as perguntas:

  • O que realmente aconteceu?
  • Quem causou isso de fato?
  • Eu estou exagerando os fatos?
  • Eu estou estendendo para outras coisas ou pessoas uma responsabilidade que não é delas?
  • Isso realmente acontece o tempo todo?
  • Isso realmente acontece em todo lugar?
  • Isso realmente acontece com todo mundo?
  • Tem como resolver essa situação de forma específica?
  • Tem como eu resolver esse situação e torná-la temporária?
  • Quais são os pontos positivos que me ajudarão a lidar com essa situação?
  • Como eu posso contribuir positivamente para que isso mude para melhor?

Talvez você consiga começar a enxergar o outro lado caso permita a si mesmo responder essas perguntas com sinceridade!

Fica meu convite final para que você coloque os óculos da imagem desse texto, você verá coisas diferentes dos outros, você sonhará mais, você provavelmente vai fugir um pouco da realidade algumas vezes, mas certamente você irá se sentir tão bem que vai despertar nos outros a curiosidade de usar os mesmos óculos que você.

Gostando do texto, comente abaixo, deixe seu contato e passarei uma ferramenta muito simples e ao mesmo tempo desafiadora para lidar com situações adversas e manter o otimismo.

 

Um abraço.

 

Tiago.