Ferramentas

Você fica se perguntando como fazer para ter otimismo? O otimismo pode ser demonstrado diante de situação boas e ruins e hoje trago para vocês na série ferramentas de Coaching os 5 Cês pra ter otimismo.

Muitas vezes nós passamos por situações nas quais ter otimismo é muito difícil. Alguém nos contraria ou pega em algum ponto que é muito difícil de segurar e acabamos sendo totalmente pessimistas.

Além de generalizar achando que nada dá certo, que todas as pessoas nos tiram do sério e que o mundo é o problema, nós consumimos uma energia enorme tentando reverter uma situação e acabamos focando no problema, sem ter como sair dali.

A partir daí, ter otimismo passa a ser cada vez mais difícil e uma coisa puxa a outra até que chegamos em um ponto que ser otimista parece impossível.

 

Otimismo

Eu falei sobre esse tema em uma outra postagem de forma bem detalhada, de como o otimismo ou pessimismo afeta nossas situações positivas e negativas.

Relembrando rapidamente, agir com otimismo diante de situações negativas é considerar essas pontuais e específicas. Agir com otimismo diante de situações positivas, é considerar essas situações permanentes e generalizadas.

Então, falando sobre otimismo, ele não se trata apenas de ver as situações boas, mas também engloba reconhecer situações ruins quando elas acontecem e como elas realmente aconteceram, de forma bem direta e racional.

Estamos acostumados na verdade a fazer diferente, ver situações negativas como uma tempestade em um copo d’água e ver situações positivas como um lance de sorte. Eu não sei exatamente o motivo de sermos assim, mas parece ser cultural enxergar mais o que há de ruim.

Na proporção de felicidade de 3:1 que a psicologia positiva prega, três emoções positivas para uma emoção negativa, se explica como as emoções, feedbacks e situações negativas influenciam mais em nossas vidas do que as positivas.

Por isso é tão importante cultivarmos emoções positivas, otimistas e de esperança para termos uma vida de bem-estar.

Então aprenda com os 5 Cês abaixo a agir com otimismo diante das situações que tiram você do sério:

  • Contrariedade
  • Crença
  • Consequências
  • Contestação
  • Capacitação

 

Contrariedade

Nesse primeiro passo precisa-se de muita atenção!

Estar alerta aos momentos nos quais você será contrariado. Nós estamos o tempo todo sofrendo contrariedades. Pessoas que pensam diferente de nós, culturas diferentes, crenças diferentes, críticas, desaprovações… enfim, tudo isso são situações que vem contra o que acreditamos e que as vezes nos geram pensamentos ruins e pessimistas.

Por isso estar alerta e fazer um exame de consciência ao ser pessimista e ter um olhar negativo é extremamente importante.

No exercício que estou ensinando para vocês, mais importante que identificar, é escrever o que aconteceu. Vou dar um exemplo comum de contrariedade para que continuemos trabalhando nos outros pontos:

Ex.: Você fez um trabalho muito legal na sua concepção, você gostou do trabalho que fez, mas o seu professor achou o trabalho horrível e deu nota baixa para você.

 

Crença

Depois de escrever o evento que te contrariou, é importante que você reconheça quais crenças que fizeram você agir de maneira negativa ou quais crenças te impulsionam para agir de maneira negativa antes mesmo que a atitude aconteça.

Não é algo simples de ser feito, já que nossas crenças acabam sendo fruto de educação, cultura e vivências. Está acima do conhecimento, pois é algo que muitas vezes não tem explicação, mas acreditamos “porque sim”.

As crenças costumam ter um ar de verdade absoluta, incontestável, muitas vezes até nos confundimos entre algo que acreditamos e algo que realmente é verdade.

Visto isso, deixe seu orgulho de lado e identifique que crença pode estar causando o sentimento pessimista.

Ex.: Esse professor está pegando no meu pé, só pode ser! Não é possível que ele tenha achado o meu trabalho ruim, eu tenho certeza que fiz um trabalho excelente. Esse professor é horrível, ele não sabe nem o que está falando, pois eu me baseei no que ele mesmo falou e ele me deu errado, qual é a dele? Tenho certeza que ele me deu nota baixa só porque eu falo muito durante a aula dele. Certeza!

 

Consequências

Se você chegou nessa etapa, conseguiu anotar o que te deixou fora do sério, anotou o que você acredita, agora basta anotar as consequências de tudo isso se você realmente estiver correto com relação as suas crenças.

Por acreditar nisso, acontecerá isso… e isso…

Além disso, anote também os seus sentimentos. Como você se sentiu fisicamente e emocionalmente. O que você fez logo de cara caso já tenha agido…

Entendeu? Vamos para a prática:

Ex.: Eu falei um monte para aquele professor, disse que não concordava com aquilo, fiquei morrendo de raiva e cheguei até a ficar vermelho, queria xingar ele. Agora como eu vou continuar a matéria dele? Vou pedir para o coordenador trocar de professor, porque não vai dar para continuar tendo aula com esse cara. Vou pedir para meus pais me trocarem de escola ou de sala. Eu não consigo mais nem ouvir a voz desse cara e não consigo mais entender o que ele quer, afinal tudo que eu diga ele vai achar errado mesmo. Vou ficar mudo também na aula dele a partir de agora.

 

Contestação

Até aqui foi feito uma ótima análise de consciência. Você percebeu o que fez, quais crenças suas te fizeram agir e quais consequências tiveram e ainda terão. Parabéns!

Agora é hora de ser totalmente racional e sair da situação. Talvez seja o passo mais difícil de todos, mas uma vez que reconhecer tudo, vale a pena fazê-lo.

Questione-se sobre suas crenças, será que elas realmente fazem sentido? Quais evidências você tem de que elas são verdadeiras? Se elas forem verdadeiras e tiver evidências para isso além do que você acredita, quais são as alternativas? Será que uma mudança radical justifica? Será que será útil você se preocupar com isso ou dá para relevar e seguir a vida?

É hora de se questionar e ser honesto consigo mesmo, veja dois exemplos abaixo para a mesma situação:

Ex1.: Parando para analisar esse professor nunca foi injusto nas avaliações até agora. Ele sempre me deu as notas de acordo com a matéria e nunca me prejudicou ou prejudicou alguém aqui por falar muito. Talvez o meu trabalho tenha sido realmente bom dentro do que entendi, porém o meu entendimento não era o que ele esperava.

Ex2.: Esse professor realmente pega no pé de todo o meu grupo e as pessoas que falam muito na aula. Bom, nesse caso talvez sair da escola não seja a melhor opção, já que outros professores são muito bons. Eu também posso só na aula dele falar menos e procurar sentar longe do meu grupo. Poderia também falar com ele e tentar resolver sem envolver coordenação, tentar entender o que ele espera nos trabalhos e avaliações.

 

Capacitação

Muito bom! Nesse quinto passo você com certeza já estará capacitado para achar alternativas e agir diferente e evitar que problemas maiores aconteçam. Então basta escrever aquilo que aprendeu capacitando-se e contestando suas próprias crenças. Escreva também o que você fará numa próxima vez caso situações assim volte a acontecer.

Vamos lá?

Ex.: Agora que analisei toda a situação e estou mais tranquilo, talvez não seja um motivo para tanta raiva assim. O professor está ali para avaliar e eu preciso entender como ele também gosta de ser tratado. Pegando no meu pé ou não, vou procurar saber o que ele esperava naquela apresentação e procurar não dar mais motivos para que ele pegue no meu pé como estou dizendo que ele faz. Numa próxima situação dessa, ao invés de xingar e esbravejar, vou procurar ouvir, tentar negociar o meu ponto de vista com o professor baseado no que acreditava e melhorar para a próxima.

Prontinho! Muto fácil fazer isso, não é?

Claro que não. Colocar os cinco cês em prática é realmente algo muito difícil, pois precisamos contestar nós mesmos. Mas com prática você acaba chegando em resultados muito bons que servirão para você ter mais otimismo.

E então, tá esperando o que para adotar essa prática?

Deixe seu comentário abaixo contando suas experiências e compartilhe com aquela pessoa pessimista!

Grande abraço!!